sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

existencialismo de buzú

Um cheiro de esperma velho e fermentado toma conta de todo o ônibus. O homem ao meu lado usa roupas um tanto gastas e temo estar sendo preconceituosa - porque olhei para ele com certo asco expontâneo antes de abrir as janelas ao meu alcance. Encaro-o, e os olhos dele estão nos meus. Que tipo de coisa me une, ou me afasta, deste homem com cheiro de esperma coalhado? Serei eu mais digna só porque uso roupa limpa, tomei banho hoje cedo e passei aquele perfume novo?

8 comentários:

Ricardo Valente disse...

Esperma é sexo. Acho que é por aí! (não é sujo!!!)

katherine funke disse...

concordo: sexo não é sujo; mas estava falando de um homem com cheiro de esperma coalhado (de muitos e muitos dias, por ali, fermentando - quem sabe)...

[jb] disse...

cabe muita filosofia num ônibus!!!!!

deixo aqui minha saudação e o desejo de um ano novo excelente nos trópicos baianos.

Katia Borges disse...

Katherine, paz e saúde em 2009. BJ

Ari Donato disse...

Kati, Kati...
por mais que queiramos,jamais saberemos tudo de nós mesmos e do nosso semelhante. Como avaliar quem é mais digno, quando não se sabe o que pensa um e o outro? Mesmo se se soubesse, ainda haveriam as ações, de um e de outro, e mais as palavras, estas, talvez, as mais perigosas dessa tríade. Gosto muito dos seus textos, fazem-me refletir. Um beijo de saudades e bom Ano-Novo.

On disse...

o q os une?
o q os separa?
talvez o cheiro, talvez o pré-conceito, talvez a liberdade... talvez...
um otimo 2009 pra vc! bjus!

Renata Belmonte disse...

Kath,
Vim aqui para deixar um beijo. E, sinceramente, acho que não são as roupas ou os cheiros que nos tornam mais ou menos dignos. Mas falo isso me utilizando de uma perspectiva isolada de dignidade.(tudo depende da pergunta: digno do que?)
Beijocas,
Renata

Bruna Hercog disse...

Que bacana seu cantinho online Katherine!!!
Vou passear por aqui e pelo seu outro blog tb!
Bjinhos