sábado, 29 de dezembro de 2007

mortos vivos

Estão mortos porque querem. Ser um morto em vida é uma forma mais fácil de escapar do sofrimento. Basta entrar na roda do sistema, aceitar todas as sujeiras dele decorrentes como parte da realidade e considerar natural, porque necessários, os abismos físicos e espirituais entre os seres humanos. Depois, encher a cara com uísque importado, pagar uma puta para comer sem culpa e expiar os pecados uma vez por ano.

Pensam que assim são mais "vivos" que os outros - porque ganham mais dinheiro, porque possuem empregados para humilhar, porque passam as férias viajando. Ou simplesmente porque não precisam se preocupar com grandes questões filosóficas - apenas assinam embaixo do que o chefe mandar e embolsam, com leveza e alegria, o salário pago em troca do Grande Silêncio.

Estão mortos porque querem. Mas não sabem que já morreram, porque desconhecem o que seja vida.

3 comentários:

ronaldo braga disse...

estão mortos porque a vida pra esses tipos é uma coisa insuportável e eles não tem almas, as almas fogem dos mediocres e de longe ficam na espreita. esse tipo de gente sofre com a felicidade e carinho é uma ofensa, por isso precisam de putas. eles gostam de bajular e serem bajulados e eles são a maioria absoluta da humanidade.
leia o texto o nada repleto de nadas no braga e poesia:
ronaldobragas.blogspot.com

Oroonoko disse...

Oi, Katherine, é a segunda vez que coincidentemente entramos em sintonia... Ótima reflexão, a sua. Um ótimo 2008 para você!

Renata Belmonte disse...

Kath,
Adorei seu post. Este é o pior tipo de morte que existe, conheço muitas pessoas desse tipo. Vivem com a cara de nojo, só pronunciam bobagens, acham que a coisa mais legal do mundo é o novo tipo de champagne que será servido numa de suas "festinhas" privês. Tolos, pobres de espírito...
Fico feliz por não sermos assim.
Feliz 2008! Li sua matéria sobre a votação do Plano Diretor e fiquei orgulhosa por conhecer você.
Bjs