quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

a garçonete

Serve a empada de chocolate com morango para um casal infeliz. Bastava olhar as bocas, tortas para baixo; a mulher balançando a cabeça enquanto o homem murmura qualquer coisa. Geisa não tem tempo pra analisar feições. Anota o pedido da outra mesa e segue seu rumo entre comedores e bebedores sempre insatisfeitos. Ela tem o rosto submisso de quem ouve ordens todos os dias, das quinze à meia-noite. Geisa precisa sentar e comer uma empada de chocolate. Agora.

3 comentários:

Gustavo Rios disse...

é disso que eu tô falando. essência. o detalhe. a empada, a boca torta da mulher infeliz. o que realmente diz alguma coisa em emio ao barulho da vida.

Rubens da Cunha disse...

belos exercicios de cotidiano e poesia. parecem curtas metragens.
adorei.

Yuri Assis disse...

também acho. e, por favor, arranje um namorado pra ela.
me lembrou macabéa.