quarta-feira, 16 de abril de 2008

sobre as pausas

silêncio em mim,
exceto pelos
fones de ouvido

tanto pensamento
em trânsito colando
náuseas com cimento

tomo meu chá
e ouço o vento

3 comentários:

SANDRO ORNELLAS disse...

zazen

M.Gallo disse...

Outro belo poema! Congratulações!

Eliana Mara disse...

Flecha incerta e alvo disponível: chá e vento, combinação exata.