terça-feira, 11 de novembro de 2008

subterrânea aos 70

"[...] ah que droga como espetam as pontas da página do tempo - "
(Kerouac, em Os Subterrâneos)

"Ah, minha filha", foi dizendo a velha, "eu na minha idade tenho que agradecer porque posso fazer tudo quanto é tipo de prevenção: acupuntura, hidroginástica, massoterapia e -" e ela disse ter 70 anos, mas parecia ter 50: uma vitalidade e uma disposição sem igual. Até usava um decote e, embora os seios fossem derretidos, até podia se assemelhar com algo vagamente mais jovem. "Minha mãezinha morreu num sábado, aos 95, lá em Maceió, e eu numa terça-feira já estava morando em Salvador. Faz 8 meses. Mandei colocarem tudo num caminhão e - " e ela falava sem parar sobre sua recente mudança de vida mas o meu tempo estava se esgotando. Eu precisava de informação, não daquilo, mas estava até me divertindo -

Um comentário:

Luli Facciolla disse...

Amei o post!!

Beijos