domingo, 19 de agosto de 2007

na paranóia

Queime tudo para não deixar vestígios.

8 comentários:

aeronauta disse...

Texto curto, bem construído, que nos deixa curiosos, querendo saber mais, querendo encontrar vestígios... Muito bom. Abraços.

Renata Belmonte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SANDRO ORNELLAS disse...

Vestígios de pontas perigosas, textos ruins ou de si mesmo?
Sandro

Palavras e co-lirius disse...

E se as cinzas forem detectadas? Elas podem representar vestígios, não???

Anônimo disse...

Olá Katherine. Sinto pela demora. Entre vestígios e queimaduras, vamos seguindo. Aquele abraço. Thiago.

anjobaldio disse...

Vestígios tingidos pelo sangue que brota de nossos delírios mais sutis?

Rodrigo Lopez-Balthar disse...

Katherine

Valeu pelo link, retribui lá no cão. Mas o mais importante é o dialogo que se inicia...Acho um luxo estar abaixo de João Gilberto Noll e acima de Kurt Vonegut...

Renata Belmonte disse...

Kath... Sua citação lá no blog me deixou sem palavras! Portanto, apenas deixo aqui nesta visita os meus vestígios. Enquanto procuro os seu e o da Senhorita B.
Super beijo!