terça-feira, 16 de outubro de 2007

perigos

- Diga aí, velho. Me passa seu cigarro?
O homem de roupas brancas, longas botas brancas e boné branco - um açougueiro em início de expediente - deu o que o vagabundo queria. Era o que carregava nas mãos, afinal. A mulher que vinha atrás fez cara de medo quando percebeu o risco de ter sua bolsa solicitada pelo mendigo. Então atravessou a rua e continuou o caminho longe dos grandes perigos contidos nas pequenas frases alheias.

5 comentários:

aeronauta disse...

Conto aparentemente despretensioso, porém extremamente denso e terrivelmente humano. Adorei.

gerald disse...

vc esta cada vez melhor
deixe sempre leitor
com possibilidades de (mais que interpretações)compreensão.

Gustavo Rios disse...

correção: os últimso 4 posts estão insuperáveis.

anjobaldio disse...

Massa.

chris disse...

kathy
carademenina
q não muda
ainda assim
cheia de surpresas
agricultura? conte mais... depois do lindo jardim, o q vocês inventam? nosso pequeno mundo espera por ambos (esse convite é antigo). beijos no baianoboy e na doce autora das boas palavras.
beijos da chris, ayrton e sophia