domingo, 7 de outubro de 2007

senhor g.

Àquela hora a bilheteria já estava aberta. Resolveu comprar uma entrada. A moça que vendeu o bilhete recomendou a G. que aguardasse o início do espetáculo já dentro do circo, porque do lado de fora o calor continuava tremendo.

G. aceitou o conselho e acomodou-se na arquibancada mais próxima da arena. Dali podia ver os últimos preparativos. Ainda faltava uma hora e meia para a primeira apresentação do dia.

De repente, avistou uma mulher muito parecida com sua mãe testando a corda bamba. Primeiro riu da visão. Mas, prestando bem atenção, teve quase certeza de que aquela era mesmo a sua mãe.

3 comentários:

Personagem Principal disse...

Eu entendo, também não tenho freqüentado todos com a mesma assiduidade.

Amei seu comentário, a analogia. Amei. :)

Renata Belmonte disse...

Kath,
Ótimo conto, viu?
Grande beijo,
Renata

aeronauta disse...

Gosto dessa coisa kafkiana de iniciais (senhor g.). E o conto é bom, dá vontade de saber mais. Abraços.